[Resenha] Okja

imagem: Okja
Filme: Okja
Ano: 2017
Duração: 1h 58min
Gênero: Aventura, Ficção Científica,  Drama
Direção: Joon-Ho Bong
Elenco: Seo-Hyun Ahn, Tilda Swinton, Jake Gyllenhaal, Paul Dano, Steven Yeun, Lily Collins, Daniel Henshall, Devon Bostick, entre outros.
Nacionalidade: Coreia do Sul, EUA

Sinopse: Nova York, 2007. Lucy Mirando (Tilda Swinton), a CEO de uma poderosa empresa, apresenta ao mundo que uma nova espécie animal foi descoberta no Chile. Apelidada de "super porco", ela é cuidada em laboratório e tem 26 animais enviados para países distintos, de forma que cada fazenda que o receba possa apresentá-lo à sua própria cultura local. A ideia é que os animais permaneçam espalhados ao redor do planeta por 10 anos, sendo que após este período participarão de um concurso que escolherá o melhor super porco. Uma década depois, a jovem Mija (Seo-Hyun Ahn) convive desde a infância com Okja, o super porco fêmea criado pelo avô. Prestes a perdê-la devido à proximidade do concurso, Mija decide lutar para ficar ao lado dela, custe o que custar.

imagem: Cinematologia

Opinião: Okja foi um filme inicialmente pouco divulgado pela Netflix, mas aos poucos foi ganhando mais atenção por parte dos assinantes e a plataforma investiu mais em sua divulgação. O longa trata de uma temática delicada: a relação do homem com os animais e a indústria da carne.

A empresária Lucy Mirando vende carne de um animal produzido em laboratório, os super-porcos, Okja é um deles. Porém, o animal teve a sorte de crescer com Mija, uma jovem que cresceu em uma montanha com seu avô e as duas acabaram criando um vínculo muito forte de amizade.

O início o filme foca nessa relação das duas e mostra que Okja é um animal extremamente inteligente. Quando os representantes de Lucy chegam para levar a porca para os Estados Unidos, o filme ganha seu tom dramático. 

imagem: Variety

Mija conta com a ajuda de um grupo de ativistas que lutam pelos direitos dos animais. No início há um conflito de interesses entre a meninas, que quer apenas levar Okja de volta para as montanhas e o grupo, que quer desmascarar Lucy Mirando. Mas no fim eles acabam se entendendo, e os ativistas tem um papel bem claro no filme: mostrar as atrocidades da empresa de Lucy.

Muitas cenas são fortes, mas é necessário que seja assim, para que tenhamos conhecimento do que passam os animais que são considerados alimento. O impacto que essas cenas causam é grande, e acho muito difícil alguém não refletir sobre o assunto após assistir o filme.

O filme é triste, mas ao mesmo tempo delicado, ele consegue trabalhar toda essa questão da indústria, das empresas que só se preocupam com o lucro, e traz o outro lado, os sentimentos do animas e das pessoas que estão ali para cuidar dessas vidas.

É mais uma bela produção da Netflix, com um bom roteiro, uma história original, comovente, e ainda conta com lindos cenários e bons efeitos visuais.

Confira o trailer:

Comentários

Postagens mais visitadas